segunda-feira, 29 de abril de 2013

Paróquia realiza Retiro dos Crismandos


Neste domingo (28), a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição realizou o retiro dos jovens que irão se crismar no próximo dia 17 de maio. Cerca de 150 jovens de Lajes, Pedra Preta e Caiçara do Rio dos Ventos participaram, durante todo o dia, do retiro.
 
Momento espiritual com dinâmicas, orações e reflexões foram realizados na primeira parte. O Padre Zezinho comandou esses momentos, conversando com todos e terminando com o almoço.
À tarde, o diácono Manoel fez uma palestra sobre o compromisso da Crisma.

Vejam as fotos de Jr Martins, Tácio Fernandes e Rohnhalyssom Mariano no Facebook da Paróquia de Lajes.

Papa Francisco aos jovens: "Arrisquem a vida por grandes ideais"

papa28.04.2013Neste domingo, 28 de abril, Papa Francisco presidiu uma missa na qual crismou 44 jovens dos cinco continentes. A celebração se insere na programação organizada pelo Pontifício Conselho para a Nova Evangelização no âmbito do Ano da Fé. O forte sol e calor desta manhã de primavera contribuíram e a Praça São Pedro ficou tomada por 100 mil fiéis, em grande maioria, jovens.

Na homilia, o Papa propôs à reflexão três pensamentos, simples e breves, inspirados nas leituras do dia.

O primeiro partiu da visão de São João da ação do Espírito Santo, que ao trazer-nos a novidade de Deus, vem a nós e faz novas todas as coisas: transforma-nos e através de nós, quer transformar também o mundo onde vivemos. Prosseguindo, Francisco exortou:

“Abramos-Lhe a porta, façamo-nos guiar por Ele, deixemos que a ação contínua de Deus nos torne homens e mulheres novos, animados pelo amor de Deus. Como seria belo se cada um de vós pudesse, ao fim do dia, dizer: Hoje na escola, em casa, no trabalho, guiado por Deus, realizei um gesto de amor por um colega meu, pelos meus pais, por um idoso”.

A novidade de Deus, disse, “não é como as inovações do mundo, que são todas provisórias, passam e procuramos outras sem cessar. A novidade que Deus dá à nossa vida é definitiva; e não apenas no futuro quando estivermos com Ele, mas já hoje”.

O segundo pensamento se inspirou na Primeira Leitura, quando Paulo e Barnabé afirmam que “temos de sofrer muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus”.

“O caminho da Igreja e também o nosso caminho pessoal de cristãos não são sempre fáceis”, disse, advertindo que “seguir o Senhor, deixar que o seu Espírito transforme nossas zonas sombrias, nossos comportamentos em desacordo com Deus e lave os nossos pecados é um caminho que encontra obstáculos fora de nós, no mundo onde vivemos e que muitas vezes não nos compreende”.

“Mas as dificuldades e tribulações fazem parte da estrada para chegar à glória de Deus” - concluiu.

No último ponto, Francisco convidou todos, especialmente os crismandos e crismandas, a permanecerem firmes no caminho da fé, com segura esperança no Senhor:

“Este é o segredo do nosso caminho. Ele nos dá coragem para ir contra a corrente: faz bem ao coração, mas é preciso coragem!”. O Papa ressalvou que isto é verdade principalmente quando nos sentimos pobres, fracos ou pecadores, porque Deus proporciona força à nossa fraqueza, riqueza à nossa pobreza, conversão ao nosso pecado.

Francisco terminou a homilia usando a mesma expressão de Papa Wojtyla, em 1978:

“Abramos – escancaremos - a porta da nossa vida à novidade de Deus que nos dá o Espírito Santo, para que nos transforme, nos torne fortes nas tribulações, reforce a nossa união com o Senhor, o nosso permanecer firmes Nele: aqui está a verdadeira alegria”.

Dirigindo-se ainda aos jovens, acrescentou: “Joguem a vida por grandes ideais. Apostem em grandes ideais, em coisas grandes; não fomos escolhidos pelo Senhor para ‘coisinhas pequenas’, mas para coisas grandes!”.

Após a homilia, os jovens se aproximaram do Pontífice para o rito da Confirmação. O brasileiro Victor Chaves Costa Lima, de 16 anos, foi um dos que nesta cerimônia, expressaram a sua plena e livre decisão de aderir à fé batismal.

Da CNBB

Maria ensina o que é viver no Espírito Santo, lembra Papa no Regina Coeli

Antes do Regina Coeli, Francisco dirigiu uma oração especial pelas vítimas de um desabamento em Bangladesh

Ao término da Santa Missa na qual crismou 44 pessoas neste domingo, 28, Papa Francisco rezou a oração mariana do Regina Coeli. Aos fiéis reunidos na Praça São Pedro, o Santo Padre lembrou que a Virgem Maria ensina o que significa viver no Espírito Santo e acolher a novidade de Deus na vida.

Recordando que Maria invocou o Espírito aos Apóstolos no Cenáculo, Francisco explicou que cada vez que os fiéis se reúnem em oração, são apoiados pela presença espiritual da Mãe de Jesus para receber o dom do Espírito e ter a força de testemunhar Jesus ressuscitado.

“Isso o digo de modo particular a vocês, que hoje receberam a Crisma: Maria ajude-vos a estarem atentos àquilo que o Senhor vos pede, e a viver e caminhar sempre segundo o Espírito Santo!”, disse.

O Santo Padre saudou afetuosamente todos os peregrinos presentes e dirigiu uma oração especial pelas vítimas do desabamento de uma fábrica em Bangladesh. “Exprimo a minha solidariedade e profunda proximidade às famílias que estão de luto pelos seus entes queridos e dirijo do fundo do coração um forte apelo, a fim de que seja sempre protegida a dignidade e a segurança do trabalhador”.

Da Canção Nova

Santo do dia - 29 de abril

Santa Catarina de Sena

Neste dia, celebramos a vida de uma das mulheres que marcaram profundamente a história da Igreja: Santa Catarina de Sena. Reconhecida como Doutora da Igreja, era de uma enorme e pobre família de Sena, na Itália, onde nasceu em 1347. 

Voltada à oração, ao silêncio e à penitência, não se consagrou em uma congregação, mas continuou, no seu cotidiano dos serviços domésticos, a servir a Cristo e Sua Igreja, já que tudo o que fazia, oferecia pela salvação das almas. Através de cartas às autoridades, embora analfabeta e de frágil constituição física, conseguia mover homens para a reconciliação e paz como um gigante.

Dotada de dons místicos, recebeu espiritual e realmente as chagas do Cristo; além de manter uma profunda comunhão com Deus Pai, por meio da qual teve origem sua obra: “O Diálogo”. Comungando também com a situação dos seus, ajudou-o em muito, socorrendo o povo italiano, que sofria com uma peste mortífera e com igual amor socorreu a Igreja que, com dois Papas, sofria cisão, até que Catarina, santamente, movimentou os céus e a terra, conseguindo banir toda confusão. Morreu no ano de 1380, repetindo: "Se morrer, sabeis que morro de paixão pela Igreja".

Santa Catarina de Sena, rogai por nós!

Liturgia diária - Segunda-feira, 29 de abril


Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 14,5-18)

Santa Catarina de Sena

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, em Icônio, 5pagãos e judeus, tendo à frente seus chefes, estavam dispostos a ultrajar e apedrejar Paulo e Barnabé. 6Ao saberem disso, Paulo e Barnabé fugiram e foram para Listra e Derbe, cidades de Licaônia, e seus arredores. 

7Aí começaram a anunciar o Evangelho. 8Em Listra, havia um homem paralítico das pernas, que era coxo de nascença e nunca fora capaz de andar. 9Ele escutava o discurso de Paulo. E este, fixando nele o olhar e notando que tinha fé para ser curado, 10disse em alta voz: “Levanta-te direito sobre os teus pés”. O homem deu um salto e começou a caminhar.

11Vendo o que Paulo acabara de fazer, a multidão exclamou em dialeto licaônico: “Os deuses desceram entre nós em forma de gente!” 12Chamavam a Barnabé Júpiter e a Paulo Mercúrio, porque era Paulo quem falava. 13Os sacerdotes de Júpiter, cujo templo ficava defronte à cidade, levaram à porta touros ornados de grinaldas e queriam, com a multidão, oferecer sacrifícios. 

14Ao saberem disso, os apóstolos Barnabé e Paulo rasgaram as vestes e foram para o meio da multidão, gritando: 15“Homens, que estais fazendo? Nós também somos homens mortais como vós, e vos estamos anunciando que precisais deixar esses ídolos inúteis para vos converterdes ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles existe.16Nas gerações passadas, Deus permitiu que todas as nações seguissem o próprio caminho. 17No entanto, ele não deixou de dar testemunho de si mesmo através de seus benefícios, mandando do céu chuvas e colheitas, dando alimento e alegrando vossos corações”. 18E assim falando, com muito custo, conseguiram que a multidão desistisse de lhes oferecer um sacrifício. 

- Palavra do Senhor. 
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 113b)


— Não a nós, ó Senhor, não a nós, ao vosso nome, porém, seja a glória.
— Não a nós, ó Senhor, não a nós, ao vosso nome, porém, seja a glória.

— Não a nós, ó Senhor, não a nós, ao vosso nome, porém, seja a glória, porque sois todo amor e verdade! Por que hão de dizer os pagãos: “Onde está o seu Deus, onde está?”

— É nos céus que está o nosso Deus, ele faz tudo aquilo que quer. São os deuses pagãos ouro e prata, todos eles são obras humanas.

— Abençoados sejais do Senhor, do Senhor que criou céu e terra! Os céus são os céus do Senhor, mas a terra ele deu para os homens.

Evangelho (João 14,21-26)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 21“Quem acolheu os meus mandamentos e os observa, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele”. 22Judas – não o Iscariotes – disse-lhe: “Senhor, como se explica que te manifestarás a nós e não ao mundo?” 23Jesus respondeu-lhe: “Se alguém me ama, guardará minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. 24Quem não me ama não guarda a minha palavra. E a palavra que escutais não é minha, mas do Pai que me enviou. 25Isso é o que vos disse enquanto estava convosco. 26Mas o Defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sábado, 27 de abril de 2013

Raízes católicas do Brasil

primeira missa brasilNesta semana em que celebramos o descobrimento do Brasil e a primeira Missa realizada na terra da Santa Cruz queria propor umas breves reflexões sobre alguns sinais que poderiam falar de uma presença católica no Brasil desde os inícios.

O objetivo destas breves linhas não é fazer uma análise histórica exaustiva para julgar quais foram todos os interesses de Portugal no momento do descobrimento (muito se especula neste sentido), mas meditarmos juntos sobre alguns acontecimentos que nos falam de elementos católicos presentes desde os inícios, que marcam a nossa identidade cultural.

Sobre os objetivos de Portugal, gostaria de focar em um dos deles, que é o que nos interessa neste momento: a evangelização. Veremos esse objetivo bem claro em um documento histórico sobre o descobrimento muito importante: a famosa Carta ao Rei, escrita pelo escrivão da esquadra de Cabral, Pero Vaz de Caminha.

Comecemos nossa viagem a fim de descobrirmos juntos alguns desses sinais.

O primeiro deles é o momento em que avistaram a terra. Após quase um mês e meio de viagem, a esquadra de Cabral, no dia 22 de abril de 1500, após as celebrações pascais, chega a seu destino:

“Neste dia, a horas de véspera, houvemos vista de terra! Primeiramente dum grande monte, mui alto e redondo; e doutras serras mais baixas ao sul dele; e de terra chã, com grandes arvoredos: ao monte alto o capitão pôs nome – o Monte Pascoal e à terra – a Terra da Vera Cruz.”

Outro símbolo que aparece é o momento em que está havendo um dos primeiros encontros entre os portugueses e os nativos. Após os portugueses terem oferecido a eles diversos itens para troca sem nenhum sucesso, um item chama a atenção:

“Viu um deles umas contas de rosário, brancas; acenou que lhas dessem, folgou muito com elas, e lançou-as ao pescoço. Depois tirou-as e enrolou-as no braço e acenava para a terra e de novo para as contas e para o colar do Capitão, como dizendo que dariam ouro por aquilo.”

O que teria visto aquele índio naquelas “contas de rosário brancas”? Não podemos ter certeza, assim como se a interpretação que Caminha fez deste acontecimento era exata (se realmente trocariam o rosário por ouro). O que sim podemos refletir a partir deste gesto singelo é se não seria este um símbolo da presença de Nossa Senhora desde os inícios? Lembremos como atua Maria: de forma sutil, no silêncio, olhando sempre para os pequenos e humildes. Nossa Senhora conta com esses personagens humildes para fazer com que o seu Filho seja conhecido por todos. Pensemos, por exemplo, nas aparições em Fátima (três pastores), Guadalupe (um índio) e Aparecida (três pescadores).

Após esse momento de encontro, aconteceram outros encontros e tem um em especial que gostaria de comentar e que acredito que seja outro símbolo eloquente desta presença católica em terras brasileiras. No domingo, dia 26 de abril de 1500, é celebrada a primeira Santa Missa:

“Ao domingo de Pascoela pela manhã, determinou o Capitão de ir ouvir missa e pregação naquele ilhéu [...] E ali com todos nós outros fez dizer missa, a qual foi dita pelo padre frei Henrique, em voz entoada, e oficiada com aquela mesma voz pelos outros padres e sacerdotes, que todos eram ali. A qual missa, segundo meu parecer, foi ouvida por todos com muito prazer e devoção. [... ] Acabada a missa, desvestiu-se o padre e subiu a uma cadeira alta; e nós todos lançados por essa areia. E pregou uma solene e proveitosa pregação da história do Evangelho, ao fim da qual tratou da nossa vinda e do achamento desta terra, conformando-se com o sinal da Cruz, sob cuja obediência viemos, o que foi muito a propósito e fez muita devoção.”

Com essa primeira Missa fica consagrado o Brasil a Cristo. A Eucaristia e a Cruz seriam a partir deste momento canais de encontro entre os portugueses e os nativos:

Conta-se que vários nativos estiveram assistindo a Santa Missa da outra margem do rio e que alguns dias depois alguns deles já demonstraram devoção à Santa Cruz:

“Quando saímos do batel, disse o Capitão que seria bom irmos direitos à Cruz, que estava encostada a uma árvore, junto com o rio, para se erguer amanhã, que é sexta-feira, e que nos puséssemos todos de joelhos e a beijássemos para eles verem o acatamento que lhe tínhamos. E assim fizemos. A esses dez ou doze que aí estavam, acenaram-lhe que fizessem assim, e foram logo todos beijá-la.”

Por mais que hoje, inspirados pela história positivista que se ensina em várias escolas brasileiras, se busque negar as raízes católicas do Brasil, ao analisar brevemente alguns trechos da Carta de Caminha com objetividade não se pode ignorar estes fatos. Para nós, católicos, é muito importante ter presente esses símbolos e sermos muito agradecidos a Deus e a Nossa Senhora por nossa identidade cultural e assim sermos cada dia mais coerentes com a nossa fé.

Outro sinal nos é enviado cerca de 217 anos depois do descobrimento: Nossa Senhora Aparecida. Que Ela também seja inspiração para nós e abençoe a nossa pátria amada, abençoe nossas famílias e interceda para que o Brasil seja um país cada dia mais católico.

Termino essas breves linhas com um trecho da Carta de Caminha que deve nos inspirar nos dias de hoje a fazer o que nos pede a Santa Igreja: a Nova Evangelização.

“Porém o melhor fruto, que nela se pode fazer, me parece que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza nela deve lançar.”

Irmão Gilberto Cunha, Sodalício de Vida Cristã.

Imagem: Quadro “Primeira Missa no Brasil”, de Victor Meirelles

Santo do dia - 27 de abril

Santa Zita

Com muito carinho e devoção lembramos - neste dia - da santidade de vida de Santa Zita, padroeira das empregadas do lar. Nascida em Lucca (Itália), no ano de 1218, em uma família pobre e camponesa, mas que soube comunicar a ela a riqueza da vida em Deus.

Como simples empregada, sem estudos e cultura, Zita consagrou-se inteiramente ao Senhor, sem deixar sua vida simples. O segredo da espiritualidade desta santa era muito concreto, pois consistia em se questionar se esta ou aquela atitude agradava ou não ao Senhor. Desta forma, abriu-se para a santificação de Deus.

Santa Zita, com vinte anos, foi trabalhar numa família nobre e lá, não deixou de participar em todas as manhãs da Santa Missa na comunidade. Ela ajudava aos pobres e visitava os doentes nos tempos de folga, desta forma conquistou a admiração dos patrões. Conquistou também muitos corações para o Senhor e, merecidamente, o Céu. 

Santa Zita, rogai por nós!

Liturgia diária - Sábado, 27 de abril


Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 13,44-52)

4ª Semana da Páscoa
  
Leitura dos Atos dos Apóstolos.

44No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniu para ouvir a palavra de Deus. 45Ao verem aquela multidão, os judeus ficaram cheios de inveja e, com blasfêmias, opunham-se ao que Paulo dizia.


46Então, com muita coragem, Paulo e Barnabé declararam: “Era preciso anunciar a palavra de Deus primeiro a vós. Mas, como a rejeitais e vos considerais indignos da vida eterna, sabei que nos vamos dirigir aos pagãos. 47Porque esta é a ordem que o Senhor nos deu: ‘Eu te coloquei como luz para as nações, para que leves a salvação até os confins da terra’”. 

48Os pagãos ficaram muito contentes, quando ouviram isso, e glorificaram a Palavra do Senhor. Todos os que eram destinados à vida eterna, abraçaram a fé. 49Desse modo, a palavra do Senhor espalhava-se por toda a região. 50Mas os judeus instigaram as mulheres ricas e religiosas, assim como os homens influentes da cidade, provocaram uma perseguição contra Paulo e Barnabé e expulsaram-nos do seu território. 51Então os apóstolos sacudiram contra eles a poeira dos pés, e foram para a cidade de Icônio. 52Os discípulos, porém, ficaram cheios de alegria e do Espírito Santo.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 97)


— Os confins do mundo contemplaram a salvação do nosso Deus.
— Os confins do mundo contemplaram a salvação do nosso Deus.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória. 

— O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel. 

— Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!

Evangelho (João 14,7-14)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 7“Se vós me conhe­cêsseis, conheceríeis também o meu Pai. E desde agora o conhe­ceis e o vistes”. 8Disse Filipe: “Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta!”

9Jesus respondeu: “Há tanto tempo estou convosco, e não me conheces Filipe? Quem me viu, viu o Pai. Como é que tu dizes: ‘Mostra-nos o Pai”? 10Não acreditas que eu estou no Pai e o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo, mas é o Pai que, permanecendo em mim, realiza as suas obras. 

11Acreditai-me: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Acreditai, ao menos, por causa destas mesmas obras. 12Em verdade, em verdade vos digo, quem acredita em mim fará as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas. Pois eu vou para o Pai, 13e o que pedirdes em meu nome, eu o realizarei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. 14Se pedirdes algo em meu nome, eu o realizarei.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

A Igreja Católica do Brasil emite nota sobre a PEC 37, que retira o poder investigativo do Ministério Publico

A presidência da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil divulgou nota sobre a Proposta de Emenda Constitucional nº 37/2011, que pretende retirar os poderes investigativos do Ministério Público. No texto, os bispos afirmam que "no momento em que os valores e as convicções democráticas da sociedade brasileira passam por uma preocupante crise, custa-nos entender a razão de tal vedação". A seguir, o texto na íntegra: 

NOTA DA CNBB SOBRE A RETIRADA DOS PODERES INVESTIGATIVOS 
DO MINISTÉRIO PÚBLICO – PEC Nº 37/2011 

“Todo o que pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz,
para que suas ações não sejam denunciadas!” (Jo 3,20) 

O Conselho Episcopal Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília-DF, de 5 a 7 de fevereiro, vem manifestar sua opinião sobre Proposta de Emenda à Constituição (PEC) n.º 37/2011, que acrescenta o §10º ao art. 144 da Constituição Federal, estabelecendo que a apuração das infrações penais de que tratam os §§ 1º e 4º do mesmo artigo caberá “privativamente” às Polícias Federal e Civis dos Estados e do Distrito Federal. 

A consequência prática de tal acréscimo significa a exclusividade de investigação criminal pelas Polícias Civil e Federal, que hoje têm o poder de investigar, mas sem que tal poder seja “privativo”. Tal exclusividade não garantiria uma melhor preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio (Art. 144). Ao contrário, poderia criar um clima de insegurança pública e jurídica, limitando ou impedindo uma ação civil dos cidadãos. 

Essa exclusividade, além disso, resultará na indesejável restrição do poder investigativo de outros entes, em especial, do Ministério Público. No momento em que os valores e as convicções democráticas da sociedade brasileira passam por uma preocupante crise, custa-nos entender a razão de tal vedação. 

A importância do Ministério Público em diversas investigações essenciais ao interesse da coletividade é fundamental para o combate eficaz da impunidade que grassa no país. Não se deve, portanto, privar a sociedade brasileira de nenhum instrumento ou órgão cuja missão precípua seja a de garantir transparência no trato com a coisa pública e segurança ao povo. A PEC é danosa ao interesse do povo devendo ser, por isso, rejeitada. 

Que Deus, por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, nos inspire a todos no compromisso com a construção de uma sociedade de irmãos em que prevaleçam a justiça e a paz. 

Brasília, 6 de fevereiro de 2013. 

Dom Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida
Presidente da CNBB 


Dom José Belisário da Silva
Arcebispo de São Luís
Vice-presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário Geral da CNBB 

Santo do dia - 26 de abril

São Pascásio

Pascásio Radbert foi personagem considerável no seu tempo. Os historiadores da Teologia continuam a mencionar a teoria que ele imaginou para "esclarecer" o mistério da presença de Jesus no Santíssimo Sacramento. Como diplomata, viajou muito entre 822 e 834, para solucionar questões da Igreja e tentar apaziguar os conflitos que punham em campo os sucessores de Carlos Magno.

Era um enjeitado exposto no pórtico de Nossa Senhora de Soissons no fim do século VIII. A abadessa Teodarda, prima direita de Carlos Magno, recolheu-o e educou-o da melhor maneira que pôde. Sempre ele se referiu à sua mãe adotiva com reconhecimento e veneração; apesar disso, deixou-a algum tempo para se lançar em aventuras. 

Converteu-se aos 22 anos, e foi então Adelardo, irmão de Teodarda, abade de Corbie, que o recebeu entre os seus monges. Veio a ser um célebre professor, que deu celebridade às escolas de Corbie. 

Em 844, os seus colegas de elegeram-no como abade mas, sete anos mais tarde, fizeram uma espécie de revolução que o obrigou a refugiar-se noutra abadia. Não se afligiu. Nascera para ser escritor, e tinha várias obras em preparação: "Que felicidade, dizia, ser lançado nos braços da filosofia e da sabedoria, e poder de novo beber no meu outono o leite das Sagradas Escrituras, que alimentou a minha juventude!" 

Mas afinal os monges de Corbie acabaram por o chamar; voltou a viver com eles como simples religioso, edificando-os com os exemplos e continuando a escrever. Aí morreu a 26 de abril de 865.

São Pascásio, rogai por nós!

Liturgia diária - Sexta-feira, 26 de abril


Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 13,26-33)

4ª Semana da Páscoa

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, tendo chegado a Antioquia da Pisídia, Paulo disse na sinagoga: 26“Irmãos, descendentes de Abraão, e todos vós que temeis a Deus, a nós foi enviada esta mensagem de salvação. 27Os habitantes de Jerusalém e seus chefes não reconheceram a Jesus e, ao condená-lo, cumpriram as profecias que se leem todos os sábados.28Embora não encontrassem nenhum motivo para a sua condenação, pediram a Pila­tos que fosse morto. 29Depois de realizarem tudo o que a Escritura diz a respeito de Jesus, eles o tiraram da cruz e o puseram num túmulo. 30Mas Deus o ressuscitou dos mortos31e, durante muitos dias, ele foi visto por aqueles que o acompanharam desde a Galileia até Jerusalém. Agora eles são testemunhas de Jesus diante do povo.

32Por isso, nós vos anunciamos este Evangelho: a promessa que Deus fez aos antepassados, 33ele a cumpriu para nós, seus filhos, quando ressuscitou Jesus, como está escrito no salmo segundo: “Tu és o meu filho, eu hoje te gerei”. 

- Palavra do Senhor. 
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 2)

— Tu és meu Filho, eu hoje te gerei!
— Tu és meu Filho, eu hoje te gerei!

— “Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei e em Sião, meu monte santo, o consagrei!” O decreto do Senhor promulgarei, foi assim que me falou o Senhor Deus: “Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!”

— Podes pedir-me, e em resposta eu te darei por tua herança os povos todos e as nações, e há de ser a terra inteira o teu domínio. Com cetro férreo haverás de dominá-los, e quebrá-los como um vaso de argila! 

— E agora, poderosos, entendei; soberanos, aprendei esta lição: Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória e prestai-lhe homenagem com respeito!

Evangelho (João 14,1-6)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 1“Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também. 2Na casa de meu Pai, há muitas moradas. Se assim não fosse, eu vos teria dito. Vou preparar um lugar para vós, 3e quando eu tiver ido preparar-vos um lugar, voltarei e vos levarei comigo, a fim de que onde eu estiver estejais também vós. 4E para onde eu vou, vós conheceis o caminho”.
5Tomé disse a Jesus: “Senhor, nós não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?” 6Jesus respondeu: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Pascom prepara celebração de 15 anos de implantação

Dom Heitor (de branco) no primeiro encontro Arquidiocesano da PASCOM
Os 15 anos de implantação da Pastoral da Comunicação, da Arquidiocese de Natal, serão comemorados em junho próximo. Nos dias 14 e 15, a comemoração acontecerá nas paróquias, organizada pelas equipes da Pascom. Nestes dois dias, serão realizadas palestras, com o tema "Comunicação e participação cidadã: meios e processos", e Feira Pastoral, envolvendo as demais pastorais das paróquias.

No dia 16, será realizado um encontro, reunindo agentes da Pastoral da Comunicação, de todas as paróquias, das 8 às 16 horas, no Instituto Maria Auxiliadora, localizado no bairro do Tirol, em Natal. Pela manhã, haverá uma mesa redonda, sobre o tema: "Redes sociais: portais de verdade e de fé, novos espaços de evangelização". Os expositores serão o assistente eclesiástico da Pascom, Padre Edilson Nobre; o professor da UFRN, Juciano Lacerda, e a publicitária Clarissa Medeiros. À tarde, haverá homenagens a pessoas e instituições que contribuíram com a história da Pastoral da Comunicação, na Arquidiocese, e um momento de preparação para o 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação, que será sediado em Natal, de 27 de outubro a 01 de novembro de 2013. A programação será encerrada com missa, presidida pelo Arcebispo Dom Jaime Vieira Rocha.

Para participar do encontro, no dia 16, é necessário fazer inscrição, no período de primeiro a 30 de maio, na sala da coordenação arquidiocesana da Pascom, no Centro Pastoral Pio X - subsolo da Catedral, de segunda a sexta-feira, no horário das 8 às 12 horas e das 13h30 às 17 horas. É cobrada uma taxa de R$ 15,00, por pessoa, que dá direito ao almoço.

A Pastoral da Comunicação foi implantada, oficialmente, na Arquidiocese de Natal, em 1998, por iniciativa do então Arcebispo, Dom Heitor de Araújo Sales.

Da Arquidiocese de Natal

O Papa Francisco trará sua palavra e sua bênção aos devotos de Nossa Senhora Aparecida, disse Dom Damasceno

Foto: Portal A12
O representante do Vaticano e responsável pelas viagens internacionais do Papa, Alberto Gasbarri, confirmou, na manhã desta quarta-feira, 24, a visita do Santo Padre ao Santuário Nacional de Aparecida (SP).

Alberto Gasbarri, acompanhado do Núncio Apostólico, Dom Giovanni D’ Aniello, e outros representantes da comitiva responsável pela visita do Pontífice ao Brasil, estiveram reunidos no Santuário Nacional de Aparecida para acertar detalhes dos possíveis itinerários da passagem do Papa Francisco ao santuário mariano.

A reunião aconteceu, por volta das 10h, com o Cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis; Dom Darci Nicioli, bispo auxiliar de Aparecida; Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local da JMJ (COL); o reitor do Santuário Nacional, padre Domingos Sávio; o ecônomo do Santuário, padre Luiz Cláudio Alves de Macedo; representantes das Forças Armadas e da Polícia Federal, entre outros representantes.

Dom Damasceno comentou a visita da comitiva:

“Esteve em Aparecida o senhor Alberto Gasbarri, responsável pela viagem do Santo Padre ao exterior para ver os possíveis lugares que seriam visitados pelo Papa. Ficou impressionado pelo que viu, uma vez que já conhece Aparecida”.

O Cardeal afirmou que o Papa virá a Aparecida, mas ainda não há confirmação da data e da programação.

“Podemos confirmar que o Santo Padre virá a Aparecida. A divulgação oficial da visita do Santo Padre, tanto no Rio de Janeiro (RJ) como em Aparecida (SP), será feita em maio, quando teremos essa informação oficial”, completou Dom Damasceno.

O Cardeal Arcebispo de Aparecida falou também sobre a alegria que a visita do Pontífice despertará nos devotos da Mãe Aparecida.

“Creio que os devotos da Mãe Aparecida, da Campanha dos Devotos e todos os brasileiros estarão felizes com essa visita e correrão para Aparecida para acolher e receber o Santo Padre, o Papa Francisco, que trará sua palavra e sua bênção”.

A visita da comitiva durou cerca de duas horas e foi encerrada com um almoço no Seminário Bom Jesus.

Da Canção Nova com Portal A12

Santo do dia - 25 de abril

São Marcos Evangelista

Celebramos com muita alegria a vida de santidade de um dos quatro Evangelistas: São Marcos. Era judeu de origem e de uma família tão cristã que sempre acolheu aos primeiros cristãos em sua casa: "Ele se orientou e dirigiu-se para a casa de Maria, mãe de João, chamado Marcos; estava lá uma numerosíssima assembléia a orar" (Atos 12,12). 

A tradição nos leva a crer que na casa de São Marcos teria acontecido a Santa Ceia celebrada por Jesus, assim como dia de Pentecostes, onde "inaugurou" a Igreja Católica. Encontramos na Bíblia que o santo de hoje acompanhou inicialmente São Barnabé e São Paulo em viagens apostólicas, e depois São Pedro em Roma. 

São Marcos na Igreja primitiva fez um lindo trabalho missionário, que não teve fim diante da prisão e morte dos amigos São Pedro e São Paulo. Por isso, evangelizou no poder do Espírito Alexandria, Egito e Chipre, lugar onde fundou comunidades. Ficou conhecido principalmente por ter sido agraciado com o carisma da inspiração e vivência comunitária, que deram origem ao Evangelho querigmático de Jesus Cristo segundo Marcos. 

São Marcos, rogai por nós!

Liturgia diária - Quinta-feira, 25 de abril


Primeira leitura (1º Pedro 5,5b-14)


Leitura da Primeira Carta de São Pedro.

Caríssimos, 5brevesti-vos todos de humildade no relacionamento mútuo, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá a sua graça aos humildes. 6Rebaixai-vos, pois, humildemente, sob a poderosa mão de Deus, para que, na hora oportuna, ele vos exalte.


7Lançai sobre ele toda a vossa preocupação, pois ele é quem cuida de vós. 8Sede sóbrios e vigilantes. O vosso adversário, o diabo, rodeia como um leão a rugir, procurando a quem devorar. 9Resisti-lhe, firmes na fé, certos de que iguais sofrimentos atingem também os vossos irmãos pelo mundo afora. 10Depois de terdes sofrido um pouco, o Deus de toda a graça, que vos chamou para a sua glória eterna, em Cristo, vos restabelecerá e vos tornará firmes, fortes e seguros.

11A ele pertence o poder, pelos séculos dos séculos. Amém. 12Por meio de Silvano, que considero um irmão fiel junto de vós, envio-vos esta breve carta, para vos exortar e para atestar que esta é a verdadeira graça de Deus, na qual estais firmes. 13A igreja que está em Babilônia, eleita como vós, vos saúda, como também, Marcos, o meu filho. 14Sau­dai-vos uns aos outros com o abraço do amor fraterno. A paz esteja com todos vós que estais em Cristo.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 88)


— Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor.
— Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor.

— Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, de geração em geração eu cantarei vossa verdade! Porque dissestes: “O amor é garantido para sempre!” E a vossa lealdade é tão firme como os céus.

— Anuncia o firmamento vossas grandes maravilhas, e o vosso amor fiel, a assembleia dos eleitos, pois, quem pode, lá nas nuvens ao Senhor se comparar e quem pode, entre seus anjos, ser a ele semelhante?

— Quão feliz é aquele povo que conhece a alegria; seguirá pelo caminho, sempre à luz de vossa face! Exultará de alegria em vosso nome dia a dia, e com grande entusiasmo exaltará vossa justiça.

Evangelho (Marcos 16,15-20)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus se manifestou aos onze discípulos, 15e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! 16Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. 17Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; 18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”. 

19Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu, e sentou-se à direita de Deus. 20Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais que a acompanhavam.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Responsável pelas viagens do Papa afirma que a agenda de Francisco para a JMJ será adaptada

O responsável pelas viagens internacionais do Papa Francisco, Alberto Gasbarri, chegou ao Rio de Janeiro, nesta terça-feira, às 5h30. A vinda ao Brasil cumpre uma agenda que visa definir o programa do Santo Padre durante a Jornada Mundial da Juventude, que será realizada de 23 a 28 de julho, no Rio de Janeiro.

Gasbarri participou de reunião a portas fechadas com o arcebispo do Rio e presidente do Comitê Organizador Local da JMJ Rio 2013 (COL), dom Orani João Tempesta, o núncio apostólico no Brasil, dom Giovanni d'Aniello, representantes dos governos federal, estadual e municipal, no Palácio São Joaquim. Em seguida, às 10h30, a reunião foi ampliada com a participação de diretores do COL e outros representantes de órgãos federal, estadual e municipal, no auditório da arquidiocese.

Gasbarri agradeceu os esforços de todas as esferas de governo e dos voluntários. Disse que está acompanhando o trabalho para a realização da JMJ Rio 2013. "Já tínhamos um programa, fechado entre outubro e novembro do ano passado, mas houve uma mudança em um pequeno detalhe. Mudou o Papa", afirmou. "Tínhamos uma túnica sob medida para o Papa e, agora, precisamos fazer outra". "Agora, vamos atualizar o programa do Papa Francisco de acordo com sua sensibilidade".

Antes de vir ao Rio, Gasbarri, afirmou ele, apresentou o programa da JMJ ao Sumo Pontífice. Ele garantiu que a primeira viagem internacional do Papa será o Brasil e o "foco do programa" será o Brasil, o Rio de Janeiro e a JMJ Rio 2013. "Vamos adaptar a agenda e seguir sua sensibilidade", afirmou.

Gasbarri confirmou a participação do Papa nos atos centrais da JMJ (cerimônia de acolhida ao Papa, Via Sacra, em Copacabana, vigília e missa de envio, no Campus Fidei, em Guaratiba). O primeiro ato central da JMJ é a missa de abertura, presidida por dom Orani, que ocorre sem a presença do Papa.

Na tarde, ele visitou locais que devem integrar a agenda. Para dom Orani, a Jornada representa um "horizonte vasto que se abre diante de todos para servir ao mundo". "Teremos jovens católicos, judeus, muçulmanos, evangélicos, de várias nacionalidades, idiomas, de países em guerra, todos vivendo como irmãos. Nosso trabalho deve marcar o futuro de muita gente".

Da Assessoria de Imprensa da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013.

Diga não a PEC 37

O Plenário da Câmara Federal deve votar em breve a Proposta de Emenda à Constituição nº 37. O projeto, conhecido como PEC da Impunidade, pretende tirar o poder de investigação criminal dos Ministérios Públicos Estaduais e Federal, modificando a Constituição Brasileira. Na prática, se aprovada, a emenda praticamente inviabilizará investigações contra o crime organizado, desvio de verbas, corrupção, abusos cometidos por agentes do Estado e violações de direitos humanos.

Os grandes escândalos sempre foram investigados e denunciados pelo Ministério Público, que atua em defesa da cidadania de forma independente. A PEC 37 atenta contra o regime democrático, a cidadania e o Estado de Direito e pode impedir também que outros órgãos realizem investigações, como a Receita Federal, a COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), o TCU (Tribunal de Contas da União), as CPIs (Comissões Parlamentares de Inquérito), entre outros.

Em todo o mundo, apenas três países vedam a investigação do MP: Quênia, Indonésia e Uganda.

A PEC 37 poderá ser votada em plenário pela Câmara dos Deputados a qualquer momento. Se você também não quer deixar que esse retrocesso aconteça em nosso país, manifeste-se! Defenda a sociedade brasileira e ajude nessa luta contra o crime e a impunidade! Assine a petição eletrônica e participe desta mobilização nacional.

Do MPPR

Abaixo-assinado CONTRA a PEC 37/2011

Constituição Federal Brasileira 
[...]"Art. 144 ...... 
..................... 
§ 10. A apuração das infrações penais de que tratam os §§ 1º e 4º deste artigo, incumbem privativamente às policias federal e civis dos Estados e do Distrito Federal, respectivamente."[...] 
http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=507965 

[...]"Pelo texto, só as policias Federal e Civil poderão investigar qualquer tipo de crime. A proposta ainda terá de ser votada na Câmara e no Senado."[...] 

[...]"Uma comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que restringe o poder de investigação do Ministério Público. 

Pelo texto, só as policias Federal e Civil poderão investigar qualquer tipo de crime, inclusive os cometidos por agentes públicos e políticos, e os praticados por organizações criminosas. 

A proposta de emenda à Constituição ainda terá de ser votada na Câmara e no Senado."[...] 
http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2012/11/projeto-de-lei-que-restringe-poder-de-investigacao-do-mp-e-aprovado.html 

[...]"Esta proposta de emenda constitucional, também chamada de PEC da Impunidade, estabelece que a apuração das infrações penais será de competência privativa das polícias federal e civil. Atualmente, por determinação constitucional, o Ministério Público e outras instituições também exercem a atividade de investigação criminal".[...] 

Clique AQUI e faça parte deste movimento em defesa do povo brasileiro.

Santo do dia - 24 de abril

São Fidélis (Fiel) de Sigmaringa

O santo de hoje nasceu em Sigmaringa (Alemanha) no século XVI. Seu nome de batismo era Marcos Rei. Era dotado de grande habilidade com os estudos. Marcos era um cristão católico, tornando-se mais tarde um conhecido filósofo e advogado. Porém, havia um chamado que o inquietava: a consagração total a Deus, a vida no ministério sacerdotal. 

Renunciando a tudo, entrou para a família franciscana, para os Capuchinhos. Enquanto noviço, viveu um grande questionamento: se fora do convento ele não faria mais para Deus, do que dentro da vida religiosa. Buscou então seu mestre de noviciado que, no discernimento, percebeu que era uma tentação.

Passado isso, ele se empenhou na busca pela santidade. Seu nome agora se tornou “Fidélis” ou “Fiel'. E buscou ser fiel à vontade de Deus. Estudou Teologia, foi ordenado e enviado à Suíça para uma missão especial com outros irmãos: propagar a Sã Doutrina Católica.

São Fidélis dedicou-se totalmente em iluminar as consciências e rechaçar as doutrinas que combatiam a Igreja de Cristo. 

Depois de uma Santa Missa, com cerca de 45 anos, teve o discernimento de que estava próxima sua partida. Fez uma oração de entrega a Deus e, logo em seguida, foi preso e levado por homens que queriam que ele renunciasse à fé. 

Fidélis deixou claro que não o faria, e que não temia a morte. Ajoelhou-se e rezou: “Meu Jesus, tende piedade de mim. Santa Maria, Mãe de Deus, assisti-me”. Recebeu várias punhaladas e morreu ali, derramando seu sangue pela Verdade, por amor a Cristo e Sua Igreja.

São Fidélis, rogai por nós!

Liturgia diária - Quarta-feira, 24 de abril


Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 12,24-13,5a)

4ª Semana da Páscoa

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 24a palavra do Senhor crescia e se espalhava cada vez mais. 25Barnabé e Saulo, tendo concluído seu ministério, voltaram de Jerusalém, trazendo consigo João, chamado Marcos.


13,1Na Igreja de Antioquia, havia profetas e doutores. Eram eles: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado junto com Herodes, e Saulo. 

2Um dia, enquanto celebravam a liturgia, em honra do Senhor, e jejuavam, o Espírito Santo disse: “Separai para mim Bar­nabé e Saulo, a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os chamei”. 3Então eles jejuaram e rezaram, impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo, e deixaram-nos partir.

4Enviados pelo Espírito Santo, Barnabé e Saulo desceram a Se­lêucia e daí navegaram para Chi­pre. 5aQuando chegaram a Salamina, começaram a anunciar a Palavra de Deus nas Sinagogas dos judeus. Eles tinham João como ajudante.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 66)


— Que as nações vos glorifiquem ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem.
— Que as nações vos glorifiquem ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem.

— Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, e sua face resplandeça sobre nós! Que na terra se conheça o seu caminho e a sua salvação por entre os povos.

— Exulte de alegria a terra inteira, pois julgais o universo com justiça; os povos governais com retidão, e guiais, em toda a terra, as nações.

— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem! Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe, e o respeitem os confins de toda a terra!

Evangelho (João 12,44-50)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 44Jesus exclamou em alta voz: “Quem crê em mim não é em mim que crê, mas naquele que me enviou. 45Quem me vê, vê aquele que me enviou. 46Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.

47Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar, eu não o julgo, porque eu não vim para julgar o mundo, mas para salvá-lo. 48Quem me rejeita e não aceita as minhas palavras já tem o seu juiz: a palavra que eu falei o julgará no último dia. 49Porque eu não falei por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, ele é quem me ordenou o que eu devia dizer e falar. 50Eu sei que o seu mandamento é vida eterna. Portanto, o que eu digo, eu o digo conforme o Pai me falou”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Terço dos Homens

Foto: Tácio Fernandes
Toda segunda-feira, às 19h, acontece na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Lajes o Terço dos Homens, o movimento que há mais de 10 anos iniciou a sua missão vem vivendo um momento muito especial. Junto com a Igreja que vem fortalecendo sua Fé junto com o Papa Francisco, os homens de Lajes vêm cada vez mais se aproximam da Igreja, através da oração do Terço.

Toda semana inúmeros homens se juntam ao grupo, que se torna cada vez maior e mais expressivo dentro da comunidade. O Terço dos Homens da cidade de Lajes vem passando por uma estruturação e organização para poder seguir em frente na missão em comunhão com toda a Arquidiocese de Natal, com o Regional Nordeste 2 e com a Coordenação Nacional. 

A Coordenação local agradece a todos que estão participando e convidando seus amigos, e que nesse momento em que Lajes passa por dias atribulados, a força da fé possa trazer cada vez mais homens para esse encontro com Jesus e com sua Mãe Rainha, para que juntos possamos pedir paz para a cidade e para as famílias.

Vejam mais fotos no Facebook da Paróquia de Lajes.

Saiba mais sobre São Jorge

São Jorge, do século V d.C., é um santo militar, porque era romano. Diante da perseguição do império romano Diocleciano aos cristãos, Jorge não suportou ver tantos martírios; e a população que estava sendo martirizada não negava Jesus Cristo.

O soldado Jorge, olhando para a questão do martírio e vendo-se diante da morte dos cristãos, decidiu ser cristão e aceitou a Jesus Cristo. São Jorge foi martirizado na Palestina, em 303, e decapitado. A partir da morte de São Jorge, muitos cristãos começaram a ser devotos dele.

Por que, no Brasil, São Jorge é associado a outras crenças?

Porque, como ele é um santo guerreiro, atribui-se a São Jorge a vitória na luta contra um dragão. Porém, é preciso ficar claro que o dragão simboliza as paixões mudanas e também o próprio satanás.

Qual a relação de São Jorge com o dragão?

Muitos diziam que São Jorge, por ser um guerreiro, iria vencer o mal e libertar as pessoas do demônio, ou seja, o do dragão. Essa luta do santo com o dragão simbolizava que Jorge podia ser invocado como intercessor para vencer o inimigo, aquele que ataca as nossas paixões, que quer nos levar à perdição.

No Novo Testamento, o Apocalipse ressalta que o dragão perseguiu a mulher [Nossa Senhora] e a Igreja; São Jorge veio combater esse dragão para proclamar o nome de Cristo.

O São Jorge que a Igreja Católica invoca e pede por sua intercessão é aquele que foi martirizado pelo nome de Jesus Cristo.

Não há mal nenhum pedir a interseção de São Jorge, pois ele é santo católico, ele é mártir. Assim como ele deu seu sangue como os outros mártires da Igreja Católica, precisamos também pedir a sua interseção, mas, em primeiro lugar, temos de rezar.

Santo do dia - 23 de abril

São Jorge

Conhecido como 'o grande mártir', foi martirizado no ano 303. A seu respeito contou-se muitas histórias. Fundamentos históricos temos poucos, mas o suficiente para podermos perceber que ele existiu, e que vale à pena pedir sua intercessão e imitá-lo.

Pertenceu a um grupo de militares do imperador romano Diocleciano, que perseguia os cristãos. Jorge então renunciou a tudo para viver apenas sob o comando de nosso Senhor, e viver o Santo Evangelho.

São Jorge não queria estar a serviço de um império perseguidor e opressor dos cristãos, que era contra o amor e a verdade. Foi perseguido, preso e ameaçado. Tudo isso com o objetivo de fazê-lo renunciar ao seu amor por Jesus Cristo. São Jorge, por fim, renunciou à própria vida e acabou sendo martirizado.

Uma história nos ajuda a compreender a sua imagem, onde normalmente o vemos sobre um cavalo branco, com uma lança, vencendo um dragão:

“Num lugar existia um dragão que oprimia um povo. Ora eram dados animais a esse dragão, e ora jovens. E a filha do rei foi sorteada. Nessa hora apareceu Jorge, cristão, que se compadeceu e foi enfrentar aquele dragão. Fez o sinal da cruz e ao combater o dragão, venceu-o com uma lança. Recebeu muitos bens como recompensa, o qual distribuiu aos pobres.”

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Se compadeceu do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

São Jorge, rogai por nós!

Liturgia diária - Terça-feira, 23 de abril


Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 11,19-26)

4ª Semana da Páscoa

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 19aqueles que se haviam espalhado por causa da perseguição que se seguiu à morte de Estêvão chegaram à Fenícia, à ilha de Chipre e à cidade de Antioquia, embora não pregassem a Palavra a ninguém que não fosse judeu. 

20Contudo, alguns deles, habitantes de Chipre e da cidade de Cirene, chegaram a Antioquia e começaram a pregar também aos gregos, anunciando-lhes a Boa Nova do Senhor Jesus. 21E a mão do Senhor estava com eles. Muitas pessoas acreditaram no Evangelho e se converteram ao Senhor. 

22A notícia chegou aos ouvidos da Igreja que estava em Jerusalém. Então enviaram Barnabé até Antioquia. 23Quando Barnabé chegou e viu a graça que Deus havia concedido, ficou muito alegre e exortou a todos para que permanecessem fiéis ao Senhor, com firmeza de coração. 24É que ele era um homem bom, cheio de Espírito Santo e de fé. E uma grande multidão aderiu ao Senhor. 

25Então Barnabé partiu para Tarso, à procura de Saulo. 26Tendo encontrado Saulo, levou-o a Antioquia. Passaram um ano inteiro trabalhando juntos naquela Igreja, e instruíram uma numerosa multidão. Em Antioquia os discípulos foram, pela primeira vez, chamados com o nome de cristãos.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 86)


— Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes
— Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes

— O Senhor ama a cidade que fundou no Monte santo; ama as portas de Sião mais que as casas de Jacó. Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.

— Lembro o Egito e Babilônia entre os meus veneradores. Na Filisteia ou em Tiro ou no país da Etiópia, este ou aquele ali nasceu. De Sião, porém, se diz: “Nasceu nela todo homem; Deus é sua segurança”.

— Deus anota no seu livro, onde inscreve os povos todos: “Foi ali que estes nasceram”. E por isso todos juntos a cantar se alegrarão; e, dançando, exclamarão: “Estão em ti as nossas fontes!”

Evangelho (João 10,22-30)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

22Celebrava-se, em Jerusalém, a festa da Dedicação do Templo. Era inverno. 23Jesus passeava pelo Templo, no pórtico de Salomão. 24Os judeus rodeavam-no e disseram: “Até quando nos deixarás em dúvida? Se tu és o Messias, dize-nos abertamente”. 

25Jesus respondeu: “Já vo-lo disse, mas vós não acreditais. As obras que eu faço em nome do meu Pai dão testemunho de mim; 26vós, porém, não acreditais, porque não sois das minhas ovelhas. 27As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. 28Eu dou-lhes a vida eterna e elas jamais se perderão. E ninguém vai arrancá-las de minha mão. 

29Meu Pai, que me deu estas ovelhas, é maior que todos, e ninguém pode arrebatá-las da mão do Pai. 30Eu e o Pai somos um”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Pe. Zezinho e Pe. Aílson recebem o título de cidadão caiçarense

A noite do último sábado (20) foi muito especial para duas pessoas que já gravaram seus nomes na história da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, os Padres Zezinho e Aílson. 

Em solenidade realizada na Câmara Municipal de Caiçara do Rio dos Ventos os dois padres receberam o Título de Cidadão Caiçarense, os títulos outorgados pela Câmara Municipal foram propostos pelo Vereador Sebastião Iran, em reconhecimento aos trabalhos realizados pelos dois na cidade de Caiçara. Em seu discurso o Vereador agradeceu o trabalho e a dedicação de Pe. Aílson que passou 9 anos a frente da Paróquia e também parabenizou o trabalho que o Pe. Zezinho vem desempenhando. 

No seu discurso de agradecimento Pe. Aílson fez questão de ressaltar seu lema que diz: “Tudo posso naquele que me fortalece”, falou da alegria de retornar a Cidade para receber esse titulo. O Pe. Zezinho agradeceu a todos pelo reconhecimento e mostrou em seu discurso a importância da Igreja dentro da comunidade, tanto do lado espiritual, como do lado social. 

Vejam as fotos de João Pedro Feitosa e Tácio Fernandes no Facebook da Paróquia de Lajes.

Cuidados nos primeiros mil dias de vida podem evitar nanismo nutricional, afirma Unicef

Relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) divulgado nesta semana (15 de abril) revela que, no mundo, o nanismo nutricional atinge uma em cada quatro crianças de até cinco anos. Especialistas afirmam que o nanismo não significa apenas a criança ser mais baixa para sua idade. Pode significar, também, atraso no desenvolvimento do cérebro e da capacidade cognitiva. O documento do Unicef confirma que o combate ao problema deve centrar a atenção na gestação e nos primeiros dois anos de vida da criança.

De acordo com o relatório, 80% das 165 milhões de crianças no mundo que sofrem de nanismo vivem em 14 países, a maioria na África e na Ásia. A Índia apresenta a situação mais grave, seguida da Nigéria, do Paquistão e da Indonésia. Entre os dez primeiros estão ainda, Bangladesh, Etiópia, República Democrática do Congo, Filipinas e Tânzania.

O Unicef diz que Brasil está cumprindo com as Metas do Desenvolvimento do Milênio para combater a má nutrição, mas certamente o problema ocorre em bolsões de pobreza em áreas ou regiões localizadas, cuja população vive em condições de vulnerabilidade. “Embora os dados oficiais (IBGE) apontam que a estatura média dos brasileiros acompanha o padrão, especialistas defendem uma pesquisa ou investigação mais acurada sobre o problema”, diz Clóvis Boufleur, gestor de relações institucionais da Pastoral da Criança.

Pastoral da Criança no caminho certo


“O nanismo pode matar oportunidades na vida de uma criança e também para o desenvolvimento de um país”, afirma o diretor-executivo do Unicef, Antony Lake. O progresso obtido até agora no combate ao nanismo mostra que é possível vencer o problema.

A Pastoral da Criança “está no caminho certo”, segundo Clóvis Boufleur, ao lembrar as ações de saúde promovidas pela entidade e fundamentadas nas evidências científicas sobre a influência dos primeiros mil dias – a gestação e os dois primeiros anos de vida da criança (estudo intitulado Hipótese de Barker).

As consultas de pré-natal, a boa nutrição da gestante, preparação para o aleitamento materno, abstenção do fumo e de bebidas alcoólicas não são apenas importantes para o parto e o nascimento de um bebê com saúde. “São fundamentais para o desenvolvimento da criança e podem determinar uma vida adulta mais saudável”, destaca Clóvis Boufleur.


Da Pastoral da Criança

Jovem, porque é tão difícil conversar com pai e mãe?

A fase jovem é uma fase muito agitada da vida onde ainda estão acontecendo muitas mudanças no corpo e principalmente na mente. Enquanto o mundo prega suas “verdades” falseadas com cores deslumbrantes, incluindo em quase tudo a promiscuidade sexual, rebeldia, desobediência e tudo mais de errado, a Palavra de Deus e a família ensinam o caminho da santificação, obediência e moderação. Com isso o primeiro vínculo ser prejudicado é sempre o relacionamento com os pais. Os jovens desejam que os pais “larguem do seu pé”, ou seja, que os deixem viver do seu próprio modo. Mas a falta de controle dos pais está criando uma lacuna afetiva, uma sensação de desamor e desproteção nos filhos, onde tem hora que pra eles é mais fácil dizer algo a um colega do que aos pais e acham até que o pais não gostam mais deles pelo fato de brigarem muito e os proibirem de algo. Muitos acham que obediência é um cabestro (corrente). Realmente a obediência não é uma coisa fácil, mas a Bíblia diz que para obedecer tem que ser sábio (Êx 31.6; 35.10). O mundo diz que ser esperto é fazer o que vem a cabeça e não se deixar levar pelas opiniões dos pais, é “construir seus próprios valores”. O mundo faz pensar que é possível fazer o que dá na telha sem restrições qualquer e ainda se dar muito bem, mas não existe vantagem nenhuma em liberar o freio de um carro numa ladeira bem inclinada ou estrada desconhecida, cheia de curvas e buracos, pois assim é a vida cheia de momentos desconhecidos, imprevistos e abismos. Ser livre é ter inteligência para, capacidade para discernir com clareza o que é bom, mal, certo, errado e fazer escolhas certas. O filho sábio compreende, ou se esforça em compreender, que os pais têm mais experiência (porque já viveram mais tempo) para avaliar com clareza e discernimento os fatos da vida. E aí percebe que eles, os pais, podem ser muito úteis para que ele tenha uma vida mais feliz e tranquila. Hoje em dia muitos acham difícil de conversar com os pais, pelo medo de serem reprovados naquilo que sendo errado acham que é o certo devido a má influência do mundo, apesar que infelizmente alguns pais não são de conversar mesmo com os filhos e/ou não tem nenhuma capacidade moral para isso, sem falar em alguns pais que mediante suas ignorâncias e bravezas causam medo aos filhos e assim evitam a aproximação dos filhos. Mas que os jovens pensem bem sobre algo: Os pais estão hoje onde estão porque fizeram o caminho certo, então que tal deixar que eles ensinem a vocês também o caminho certo?

As vocações nascem na oração e da oração, destaca Papa

Papa Francisco reuniu-se com os fiéis neste domingo, 21, para rezar a oração mariana do Regina Coeli. Neste dia, em que a Igreja celebra o Dia Mundial de oração pelas vocações, o Santo Padre concentrou-se sobre a parábola do Bom Pastor. Ele destacou que toda vocação nasce na oração e da oração.

Francisco destacou que o relacionamento que Jesus quer estabelecer com seus amigos é o mesmo que Ele tem com o Pai: uma relação de confiança, de íntima comunhão. E para exprimir esta relação profunda, Jesus usa a imagem do pastor com suas ovelhas: o pastor as chama, elas escutam a sua voz e o seguem.

“É belíssima esta parábola! (…) A voz de Jesus é única! Se aprendemos a distingui-la, Ele nos guia no caminho da vida, um caminho que ultrapassa também o abismo da morte”, disse.

Mas em relação a esse chamado de Jesus, o Santo Padre lembrou que nem sempre se sabe reconhecer que se trata da voz de Cristo. Vendo a presença dos jovens em tão grande número, o Papa perguntou a eles se alguma vez já tinham ouvido a voz do Senhor.

“Pergunte a Jesus que coisa ele quer de ti e seja corajoso! Seja corajosa! Perguntem a Ele! (…). As vocações nascem na oração e da oração; e somente na oração podem perseverar e dar fruto”.

Por fim, o Papa pediu a intercessão de Maria, a mulher do “sim”, para que ajude todos a conhecer a voz de Jesus e segui-la no caminho da vida.

Depois de rezar o Regina Coeli, Papa Francisco recordou as vítimas do terremoto na China e fez um apelo pela paz na Venezuela. Ele disse que acompanha os acontecimento com preocupação e intensa oração e esperança de que se encontrem caminhos justos e pacíficos para superar esse momento difícil no país.

“Convido o povo venezuelano, de modo particular os responsáveis institucionais e políticos, a rejeitar com firmeza qualquer tipo de violência e a estabelecer o diálogo baseado na verdade, no reconhecimento recíproco, na busca do bem comum e no amor pela Nação. Peço aos fiéis para rezarem e trabalharem pela reconciliação e pela paz”, disse.

Da Canção Nova

Qual o significado da “besta” no livro de Apocalipse?

Muitas pessoas se confundem, ou acreditam na interpretação destorcida da passagem de Apocalipse 13,18 que diz: “Eis aqui a sabedoria! Quem tiver inteligência, calcule o número da fera, porque é um número de um homem, e esse número é seiscentos e sessenta e seis” (666).

Neste vídeo, eu explico o porquê tantas dúvidas sobre este trecho das Sagradas Escrituras.

Prof. Felipe Aquino