quarta-feira, 31 de outubro de 2012

8º Mutirão Brasileiro de Comunicação é lançado em Natal

Da esq.: Dom Delson, Dom Jaime, Pe. Edilson Nobre e Professor José Zilmar
O auditório do Laboratório de Comunicação, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, em Natal, ficou lotado, na manhã desta quarta-feira, 31 de outubro, no lançamento do 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação. O lançamento aconteceu exatamente um ano antes do Mutirão, que será sediado em Natal (RN), no campus da UFRN, de 27 de outubro a 01 de novembro de 2013.
 Participantes da solenidade, no auditório do laboratório de comunicação da UFRN
Na abertura da solenidade de lançamento, o Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, destacou a importância da comunicação para a Igreja, fazendo referências ao Documento Inter Mirifica, do Concílio Vaticano II. Quanto aos Mutirões de Comunicação, Dom Jaime reconhece que estes têm “se desenvolvido e alcançado grande importância para a Igreja e para a comunicação, de um modo geral”.

A parceria entre as instituições promotoras do Mutirão - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, Signis Brasil, Arquidiocese de Natal e Universidade Federal do Rio Grande do Norte - foi ressaltada nas palavras do bispo Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, referencial da Pastoral da Comunicação no Regional Nordeste 2 e membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, da CNBB. “É a primeira vez que o Mutirão Brasileiro acontece em uma universidade federal. Isso dá mais visibilidade ao evento e favorece envolver mais os estudantes e professores de comunicação social. Parabéns à UFRN, por participar desta parceria”, ressaltou Dom Delson. O 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação entrou no calendário de atividades acadêmicas da UFRN, para 2013, como um projeto de extensão universitária.

A reitora da UFRN, professora Ângela Paiva, foi representada na solenidade pelo superintendente de comunicação da Universidade, professor José Zilmar Alves da Costa. “Desde os primeiros contatos da Igreja com a UFRN, a reitora sempre se mostrou aberta à parceria. Ele tem a compreensão de que é um bom momento para que um tema tão relevante – comunicação e participação cidadã – seja colocado em pauta por promotores que têm respaldo na sociedade, como a Igreja Católica e a Universidade Federal”, enfatizou o professor Zilmar.

Durante a manhã, o coordenador geral do 8º Muticom, Padre Edilson Nobre, fez uma apresentação do que será o 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação, inclusive a programação dos seis do evento. Os presentes também conheceram a Canção do 8º Muticom, que foi escolhida em concurso, e tem letra do professor Francisco Morais, de Natal, e música do compositor potiguar, Ismael Dumangue.

Pe. Ermanno Alegri, conferencista
A segunda parte da programação de lançamento foi dedicada a uma palestra sobre o tema do Muticom: “Comunicação e participação cidadã: meios e processos”, proferida pelo diretor executivo da Agência de Notícias Adital, de Fortaleza (CE), Padre Ermanno Alegri. “Sentimos necessidade de uma comunicação com participação cidadã”, disse o padre. Em relação aos meios e processos, ele afirmou que a Igreja precisa cuidar mais da profissionalização. “Devemos acreditar que se temos valores a comunicar, temos que investir e crescer e, para isso, profissionalizar as pessoas que trabalham nos meios de comunicação da Igreja”, sublinhou.

Toda a solenidade de lançamento foi transmitida, em tempo real, pela internet, através do site www.muticom.com.br e pelas redes sociais.

Ainda nesta quinta-feira, das 14 às 15 horas, a Rádio Rural de Natal AM 1090 e outras emissoras de rádio levaram ao ar o “Especial Muticom”. Um programa radiofônico em preparação para o 8º Mutirão, com a participação da Irmã Élide Fogolari, assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, da CNBB; Irmã Helena Corazza, presidente da Signis Brasil; professor Miguel Pereira, da PUC/RJ e um dos coordenadores do 7º Mutirão, realizado em 2011; dos coordenadores da oitava edição do Mutirão; e do Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira. O programa ainda contou com a participação de pessoas de vários estados do Brasil, que já estão se mobilizando e articulando as comunidades para participarem do encontro, no próximo ano.

A programação, bem como o ‘Especial Muticom’, a canção, sugestões de hospedagem e outras informações sobre o 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação estão disponíveis no site www.muticom.com.br.

Da RECAN com fotos de José Bezerra

O que é a festa de "Halloween"?

O Halloween é uma festa muito comum nos EUA e Europa e é celebrada no dia 31 de Outubro. A comemoração veio dos antigos povos bárbaros Celtas, que habitava a Grã-Bretanha há mais de 2000 anos.  

Os Celtas realizavam a colheita nessa época do ano, e, segundo um antigo ritual, para eles os espíritos das pessoas mortas voltariam à Terra durante a noite, e queriam, entre outras coisas, se alimentar e assustar as pessoas. Então os Celtas costumavam se vestir com máscaras assustadoras para afastar estes espíritos. 

Esse episódio era conhecido como o “Samhaim”. Com o passar do tempo, os cristãos chegaram à Grã-Bretanha, converteram os Celtas e outros povos da Ilha, especialmente através de S. Patrício no século IV e V; e com o grande S. Columbano no século VI. Com isso, a Igreja Católica transformou este ritual pagão, em uma festa religiosa. Esta estratégia religiosa foi ensinada por S. Leão Magno e S. Gregório Magno. Ela passou a ser celebrada nesta mesma época e, ao invés de honrar espíritos e forças ocultas, o povo recém catequizado, deveria honrar os santos, daí veio o “All Hallows Day”: o Dia de Todos os Santos. 

Mas, a tradição entre estes povos continuou, e além de celebrarem o Dia de Todos os Santos, os não convertidos ao Cristianismo celebravam também a noite da véspera do Dia de Todos os Santos com as máscaras assustadoras e com comida. A noite era chamada de “All Hallows Evening”, abreviando-se, veio o Halloween. 

Vemos assim que a tradição de comemorar as bruxas ou outros espíritos, não é cristã e deve ser evitada, ainda que tenha apenas uma conotação folclórica. Devemos, sim, celebrar o dia de todos os Santos. Esses são reais e verdadeiros, são modelos de vida para nós e, diante de Deus intercedem por nós sem cessar.

É bom lembrar a recomendação de São Paulo: “As coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam-nas a demônios e não a Deus. E eu não quero que tenhais comunhão com os demônios. Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podeis participar ao mesmo tempo da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou queremos provocar a ira do Senhor? Acaso somos mais fortes do que ele?” (1 Cor 10,19-22) 

Do livro “Falsas Doutrinas – seitas e religiões”

Festival da Juventude: Um diálogo entre fé e cultura


Uma integração entre culturas por meio da arte e da fé. Foi com este objetivo que foi criado, em Paris, no ano de 1997, o Festival da Juventude, dentro da programação da Jornada Mundial da Juventude. E, segundo cantores, atores e expositores que participaram do festival, é este o sentido que permanece até hoje e se consolida cada vez mais.

O cantor e apresentador de TV católico Dunga, participou do Festival da Juventude da JMJ da Alemanha. Segundo ele, foi interessante ver a expressão da fé de cada povo e a troca de cultura entre eles, através das apresentações. “Os estrangeiros viram como os brasileiros rezam e toda a espiritualidade e a fé que nós temos. Além de cantarmos o nosso repertório em espanhol, acabamos cantando em ritmo de samba e forró e eles amaram. Cada um estava levando uma bandeira de seu país. Ficou um espetáculo: todas aquelas bandeiras sendo agitadas na hora que a gente estava cantando”, destacou.

Para Dunga, participar do evento também foi importante porque a partir dali é que ele soube o que significava a palavra “católico”. “Até então só entendia o que significava as palavras “Apostólico” e “Romano”, mas não o que significava “Católico”. Eu vi que o que eu rezo aqui é o que também rezam em todos os países do mundo. Entendi o que é essa presença da Igreja no mundo e a responsabilidade disso. Isso me fez responsável e me fez amar mais a Igreja”, afirmou.

Por momentos como este, também passou a jovem Lilian Yamamoto. Na JMJ de Madri, ela fez parte da equipe de atores que apresentaram a peça “O Canto das Írias”, na Pré-Jornada, em Granada, e na Jornada. A peça foi apresentada em três línguas: português, espanhol e árabe. De acordo com Lilian, foi algo singular ver a esperança no olhar de cada jovem e a fé que eles tinham. “Na Pré-Jornada, antes dos espetáculos, a gente teve a oportunidade de andar pelas ruas e convidar as pessoas, e, depois dos espetáculos, conversávamos com as pessoas. As culturas são tão diferentes, mas, ao mesmo tempo, unidas pela fé”, frisou.

Da JMJ Rio 2013

CD e DVD Bote Fé Brasil estão à venda

O CD - volumes 1 e 2 - e o DVD “Bote Fé Brasil”, gravado pela Sony Music, em preparação para a Jornada Mundial da Juventude, já se encontra à venda. Ambos foram gravados na Praia do Forte, em Natal, dia 10 de fevereiro deste ano, em um show que reuniu 25 mil pessoas e mais de trinta cantores católicos. 

Os CDs trazem 12 canções, cada, e o DVD, 21 canções. Na faixa 1, está “Um certo Galileu”, cantada pelo Padre Zezinho; seguida de “Glória e Majestade”, cantada por Adriana Arydes; “Coragem”, cantada pelos Cantores de Deus e Bruno Camurante; “Anjos de Deus”, com o Padre Marcelo Rossi; “Nunca pare de sonhar”, do Padre Fábio de Melo; “Força e Vitória”, com Eliana Ribeiro; entre outros. 

O CD e o DVD também trazem o hino oficial da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013.

Da Arquidiocese de Natal

Santo do dia - 31 de outubro

Santo Afonso Rodrigues

Diante da "galeria" de santos da Companhia de Jesus, voltamos o nosso olhar, talvez, para o mais simples e humilde dos Irmãos: Santo Afonso Rodrigues. Natural de Segóvia na Espanha, veio à luz aos 25 de julho de 1532.

Pertencente a uma família cristã, teve que interromper seus estudos no primário, pois com a morte do pai, assumiu os compromissos com o comércio. Casou-se com Maria Soares que amou tanto quanto os dois filhos, infelizmente todos, com o tempo, faleceram. Ao entrar em crise espiritual, Afonso entrega-se à oração, à penitência e dirigido por um sacerdote, descobriu o seu chamado a ser Irmão religioso e assim, assumiu grandes dificuldades como a limitação dos estudos. Vencendo tudo em Deus, Afonso foi recebido na Companhia de Jesus como Irmão e depois do noviciado foi enviado para o colégio de formação.

No colégio, desempenhou os ofícios de porteiro e a todos prestava vários serviços, e dentre as virtudes heróicas que conquistou na graça e querendo ser firme na fé, foi a obediência sua prova de verdadeira humildade. Santo Afonso sabia ser simples Irmão pois aceitava com amor toda ordem e desejo dos superiores, como expressão da vontade de Deus. 

Tinha como regra: "Agradar somente a Deus, cumprir sempre e em toda parte a Vontade Divina". Este santo encantador, com sua espiritualidade ajudou a muitos, principalmente São Pedro Claver quanto ao futuro apostolado na Colômbia. Místico de muitos carismas, Santo Afonso Rodrigues, sofreu muito antes de morrer em 31 de outubro de 1617. 

Santo Afonso Rodrigues, rogai por nós!

Liturgia diária

Primeira leitura (Efésios 6,1-9)


Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

1Filhos, obedecei aos vossos pais, no Senhor, pois isto é que é justo. 2”Honra teu pai e tua mãe” – é o primeiro mandamento – que vem acompanhado de uma promessa: 3”A fim de que tenhas felicidade e longa vida sobre a terra”. 4Vós, pais, não revolteis os vossos filhos contra vós, mas, para educá-los, recorrei à disciplina e aos conselhos que vêm do Senhor. 5Escravos, obedecei aos vossos senhores deste mundo com respeito e tremor, de coração sincero, como a Cristo, 6não para servir aos olhos, como quem busca agradar aos homens, mas como escravos de Cristo, que se apressam em fazer a vontade de Deus. 7Servi de boa vontade, como se estivésseis servindo ao Senhor, e não aos homens. 8Vós os sabeis: o bem que cada um tiver feito, seja ele escravo ou livre, tornará a recebê-lo do Senhor. 9E vós, senhores, fazei o mesmo com os escravos. Deixai de lado a ameaça; vós sabeis que o Senhor deles e vosso está nos céus e diante dele não há acepção de pessoas. 

- Palavra do Senhor. 
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 144)


— O Senhor cumpre sempre suas promessas!
— O Senhor cumpre sempre suas promessas!

— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e o vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!
— Para espalhar vossos prodígios entre os homens e o fulgor de vosso reino esplendoroso. O vosso reino é um reino para sempre, vosso poder, de geração em geração.
— O Senhor é amor fiel sem sua palavra, é santidade em toda obra que ele faz. Ele sustenta todo aquele que vacila e levanta todo aquele que tombou. 

Evangelho (Lucas 13,22-30)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 22Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. 23Alguém lhe perguntou: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” 
Jesus respondeu: 24“Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão”. 25Uma vez que o dono da casa se levantar e fechar a porta, vós, do lado de fora, começareis a bater, dizendo: ‘Senhor, abre-nos a porta!’ Ele responderá: ‘Não sei de onde sois’. 
26Então começareis a dizer: ‘Nós comemos e bebemos diante de ti, e tu ensinaste em nossas praças!’ 27Ele, porém, responderá: ‘Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!’ 28Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaac e Jacó, junto com todos os profetas no Reino de Deus, e vós, porém, sendo lançados fora. 
29Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no Reino de Deus. 30E assim há muitos que serão primeiros, e primeiros que serão últimos”.

- Palavra da Salvação. 
- Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

8º Mutirão Brasileiro de Comunicação tem lançamento dia 31


Uma programação, composta de palestra e programa radiofônico, marca o lançamento oficial do 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação - Muticom, dia 31, quarta-feira próxima. Pela manhã, das 9 às 11 horas, o lançamento será no auditório do Laboratório de Comunicação, no Campus da UFRN, em Natal. Na ocasião, será proferida uma palestra sobre o tema: “Comunicação e participação: meios e processos”, com o Padre Ermanno Allegri, diretor da Agência de notícias Adital, de Fortaleza (CE). Além da palestra, será apresentada a programação e a canção do 8º Muticom, que será sediado na UFRN, no período de 27 de outubro a 01 de novembro de 2013. Da solenidade, também participarão o Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha; Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, bispo de Campina Grande (PB) e membro da Comissão de Comunicação, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB; diretores e professores da UFRN e representantes da imprensa potiguar.

Ainda, no dia 31, das 14 às 15 horas, algumas emissoras de rádio levarão ao ar o programa “Especial Muticom”, com a participação dos coordenadores do evento; da Irmã Élide Fogolari, da CNBB; do Professor Miguel Pereira, da PUC/RJ, que coordenou a sétima edição do Mutirão; da Irmã Helena Corazza, presidente da Signis Brasil, e de pessoas de várias partes do Brasil, que já estão se preparando para participar do 8º Muticom.

As duas atividades marcam um ano de preparação para o evento.

O que é o Muticom
Os Mutirões Brasileiros de Comunicação vêm sendo realizados desde 1998, em continuidade aos Congressos Brasileiros de Comunicação Social, promovidos pela União Cristã Brasileira de Comunicação – UCBC. Os sete mutirões anteriores aconteceram nas seguintes cidades: Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Salvador (BA), Guarapari (ES), Belém (PA), Porto Alegre (RS) e, o último, foi realizado no Rio de Janeiro, em julho de 2011.

Os Mutirões são promovidos pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, juntamente com outras instituições. No caso específico da oitava edição, o Muticom funcionará como um projeto de extensão do Curso de Comunicação Social, da UFRN. O evento reúne profissionais, estudantes, pesquisadores da comunicação, pessoas envolvidas com a comunicação na Igreja Católica e comunicadores populares.

Programação do 8º Muticom
A abertura do 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação acontecerá na noite do dia 27 de outubro de 2013, no auditório do Hotel Praia Mar, Via Costeira, Natal. A partir do dia 28, as atividades se concentrarão no Campus da UFRN.

Diariamente, a cada manhã, haverá um seminário; e, à tarde, grupos de trabalhos. A programação também constará de atividades espirituais e culturais. A conferência sobre o tema do Muticom – “Comunicação e participação cidadã: meios e processos” – será proferida por Muniz Sodré, escritor e professor emérito da UFRJ. 

Preparação
Há cerca de dois anos, as instituições organizadoras, principalmente a Arquidiocese de Natal e o Departamento de Comunicação da UFRN, vêm se preparando para o 8º Muticom. Cinco equipes – Acadêmica, Comunicação, Infraestrutura, Cultura e Espiritualidade - vêm se reunindo, periodicamente, para preparar o evento.

As pessoas, do Rio Grande do Norte e de outros estados, também podem se preparar, com antecedência, para participar do evento. Os interessados poderão, por exemplo, fazer reserva da hospedagem, já a partir de 01 de novembro próximo. No site no Mutirão – www.muticom.com.br – terá um link com sugestões de locais de hospedagem. Nesse espaço, as pessoas poderão solicitar a reserva de hotel, assim como de passagens aéreas

As inscrições estarão abertas a partir do dia 01 de março de 2013, também no site do Muticom.

Da RECAN

Papa: ' A fé e a esperança enchem a bagagem dos migrantes'

A Santa Sé divulgou a mensagem do Papa Bento XVI para a Jornada Mundial do Migrante e Refugiado, que será celebrada no dia 13 de janeiro de 2013.

Em sua mensagem, o Pontífice destaca que todo o migrante é uma pessoa humana e, enquanto tal, possui direitos fundamentais inalienáveis que devem ser respeitados por todos em qualquer situação.

“Na verdade, os fluxos migratórios são «um fenômeno impressionante pela quantidade de pessoas envolvidas, pelas problemáticas sociais, econômicas  políticas, culturais e religiosas que levanta, pelos desafios dramáticos que coloca à comunidade nacional e internacional» (ibid., 62), porque «todo o migrante é uma pessoa humana e, enquanto tal, possui direitos fundamentais inalienáveis que hão-de ser respeitados por todos em qualquer situação» (ibidem)”, destaca a mensagem.

Ainda na mensagem, Bento XVI afirmou que na realidade, fé e esperança formam um binômio indivisível no coração de muitos migrantes, dado que neles existe o desejo de uma vida melhor.

“Por isso, fé e esperança enchem muitas vezes a bagagem daqueles que emigram, cientes de que, com elas, podemos enfrentar o nosso tempo presente: o presente, ainda que custoso, pode ser vivido e aceite, se levar a uma meta e se pudermos estar seguros desta meta, se esta meta for tão grande que justifique a canseira do caminho”, acrescentou.

A carta continua ressaltando que no vasto campo das migrações, a solicitude materna da Igreja estende-se em diversas direções. Por um lado a sua solicitude contempla as migrações sob o perfil dominante da pobreza e do sofrimento que muitas vezes produz dramas e tragédias, intervindo lá com ações concretas de socorro que visam resolver as numerosas emergências, graças à generosa dedicação de indivíduos e de grupos, associações de voluntariado e movimentos, organismos paroquiais e diocesanos, em colaboração com todas as pessoas de boa vontade.

“A Igreja não deixa de evidenciar também os aspectos positivos, as potencialidades de bem e os recursos de que as migrações são portadoras; e, nesta direção, ganham corpo as intervenções de acolhimento que favorecem e acompanham uma inserção integral dos migrantes, requerentes de asilo e refugiados no novo contexto sociocultural, sem descuidar a dimensão religiosa, essencial para a vida de cada pessoa. Ora a Igreja, pela própria missão que lhe foi confiada por Cristo, é chamada a prestar particular atenção e solicitude precisamente a esta dimensão: ela constitui o seu dever mais importante e específico”, completa.

Visto que os fiéis cristãos provêm das várias partes do mundo, a solicitude pela dimensão religiosa engloba também o diálogo ecumênico e a atenção às novas comunidades; ao passo que, para os fiéis católicos, se traduz, entre outras coisas, na criação de novas estruturas pastorais e na valorização dos diversos ritos, até se chegar à plena participação na vida da comunidade eclesial local.

“Entretanto, a promoção humana caminha lado a lado com a comunhão espiritual, que abre os caminhos «a uma autêntica e renovada conversão ao Senhor, único Salvador do mundo» (Carta ap. Porta fidei, 6). É sempre um dom precioso tudo aquilo que a Igreja proporciona visando conduzir ao encontro de Cristo, que abre para uma esperança sólida e credível”.

O Papa não se esqueceu de citar a questão da imigração ilegal, que se torna ainda mais complicada em casos de tráfico e exploração de pessoas.

“Tais delitos devem ser decididamente condenados e punidos, ao mesmo tempo que uma gestão regulamentada dos fluxos migratórios – que não se reduza ao encerramento hermético das fronteiras, ao agravamento das sanções contra os ilegais e à adoção de medidas que desencorajem novos ingressos – poderia pelo menos limitar o perigo de muitos migrantes acabarem vítimas dos referidos tráficos. Na verdade, hoje mais do que nunca são oportunas intervenções orgânicas e multilaterais para o desenvolvimento dos países de origem, medidas eficazes para erradicar o tráfico de pessoas, programas orgânicos dos fluxos de entrada legal, maior disponibilidade para considerar os casos individuais que requerem intervenções de proteção humanitária bem como de asilo político”, finalizou.

Do A12 e CNBB

Novas Tecnologias e Vida Consagrada: saiba mais sobre o assunto

Em meio à pluralidade das novas tecnologias e ao estilo de vida virtual do homem contemporâneo, a Igreja Católica busca encontrar um espaço adequado com o qual possa usufruir destas novidades tecnológicas para semear o Reino de Deus.

Pensando nisso, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) promovem entre os dias 1º e 4 de novembro de 2012, um Seminário de Comunicação que visa discutir o tema: “Novas Tecnologias, Novas Relações na Vida Consagrada: desafios culturais e perspectivas.”

A palestra de abertura do evento será feita pela Irmã Joana Terezinha Puntel, da Congregação das Irmãs Paulinas. A religiosa, que também é professora universitária, explicou que a palestra busca localizar e situar a vida consagrada que está na Igreja, que está nessa sociedade, na qual precisa desenvolver a sua evangelização. A palestra servirá também como tentativa de compreensão da forma como estas novas tecnologias geram novas relações e, portanto, afetam a vida consagrada. 

“São novas relações que não mudarão os princípios, mas vão mudar as formas de dialogar e até os métodos de formação. Afinal, existe uma nova maneira de aprender, de ensinar, de compreender as coisas e, isto diz respeito à vida consagrada, à vida de religiosos e religiosas que estão a todo momento em contato com essa sociedade”, destaca Irmã Joana. 

Para a Irmã, não basta utilizar os novos instrumentos, mas é necessário um mergulho na cultura midiática. “A nós cabe voltar a atenção para o que está acontecendo com o ser humano ao fazer uso e ao estar nessas redes sociais. Afinal, Jesus veio para salvar as pessoas, não aos maquinários. Portanto, é necessário saber o que está acontecendo com a juventude e as demais pessoas que estão se relacionando de forma diferente do que poderíamos imaginar quatro ou cinco anos atrás. Por isso é fundamental mergulhar na cultura, no seu sentido antropológico”. 

Desafios
Conhecer a cultura, segundo Irmã Joana, é um dos principais desafios para a Igreja, que tem buscado fazer-se presente no uso das novas tecnologias. É preciso que a Igreja entre neste meio também colaborando, principalmente com a juventude, para que ela compreenda o que vem a ser essa cultura virtual. 

Outro desafio citado pela Irmã é o risco de cair na superficialidade. Logo, seria necessário um aprofundamento cultural e antropológico da sociedade, buscando uma inovação dos métodos pastorais. 

“A comunicação passa por uma mudança na sua própria natureza. Ou seja, aquela forma unilinear de se comunicar e de se passar um conteúdo sofreu mudanças. Isso implica na adequação à interatividade, à interconexão e etc. Estes são aspectos e posturas com os quais nós, Igreja, não estamos habituados. Portanto, é necessária a adequação”.

Igreja e novas tecnologias
Irmã Joana também lembra o que disse o Papa Bento XVI em relação à autenticidade nas novas tecnologias. “É necessária uma formação para a liberdade responsável e para a formação humana, que fale da maneira cristã de se estar nas redes. A presença do cristão nas novas tecnologias precisa ser um reflexo daquilo que ele, de fato, é no seu interior”, lembrou a religiosa. 

O incentivo à inserção da Igreja nos novos meios de comunicação parte de Bento XVI, especialmente em sua mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais de 2012, quando diz: “Devemos olhar com interesse para as várias formas de sítios, aplicações e redes sociais que possam ajudar o homem atual não só a viver momentos de reflexão e de busca verdadeira, mas também a encontrar espaços de silêncio, ocasiões de oração, meditação ou partilha da Palavra de Deus.”

O Seminário de Comunicação pretende reunir na Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM), em São Paulo (SP), cerca de 200 pessoas, entre elas: consagrados e consagradas jovens, formadores, estudantes de Teologia e Filosofia, Superiores Maiores e Coordenadores de Comunidade. 

Para mais informações sobre o evento, acesse o site: www.crbnacional.org.br

Da Canção Nova

Santo do dia - 30 de outubro

São Frumêncio

A história do santo de hoje se entrelaça com a conversão de uma multidão de africanos ao amor de Cristo e à Salvação. São Frumêncio nasceu em Liro da Fenícia. Quando menino, juntamente com o irmão Edésio, acompanhava um filósofo de nome Merópio, numa viagem em direção às Índias. A embarcação, cruzando o Mar Vermelho, foi assaltada e só foram poupados da morte os dois jovens, Frumêncio e Edésio, que foram levados escravos para Aksum (Etiópia) a serviço da Corte. 

Deste mal humano, Deus tirou um bem, pois ao terem ganhado o coração do rei Ezana com a inteligência e espírito de serviço, fizeram de tudo para ganhar o coração da África para o Senhor. Os irmãos de ótima educação cristã, começaram a proteger os mercadores cristãos de passagem pela região e, com a permissão de construírem uma igrejinha, começaram a evangelizar o povo. Passados quase vinte anos, puderam voltar à pátria e visitar os parentes: Edésio foi para Liro e Frumêncio caminhou para partilhar com o Patriarca de Alexandria, Santo Atanásio, as maravilhas do Ressuscitado na Etiópia e também sobre a necessidade de sacerdotes e um Bispo. Santo Atanásio admirado com os relatos, sabiamente revestiu Frumêncio com o Poder Sacerdotal e nomeou-o Bispo sobre toda a Etiópia, isto em 350.

Quando voltou, Frumêncio foi acolhido com alegria como o "Padre portador da Paz". Continuou a pregação do Evangelho no Poder do Espírito, ao ponto de converterem o rei Ezana, a rainha, e um grande número de indígenas, isto pelo sim dos jovens irmãos e pela perseverança de Frumêncio. Quase toda a Etiópia passou a dobrar os joelhos diante do nome que está acima de todo o nome: Jesus Cristo. 

São Frumêncio, rogai por nós!

Liturgia diária - 30 de outubro -Terça-feira

Primeira leitura (Efésios 5,21-33)


Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios. 

Irmãos, 21vós, que temeis a Cristo, sede solícitos uns para com os outros. 22As mulheres sejam submissas aos seus maridos como ao Senhor. 23Pois o marido é a cabeça da mulher, do mesmo modo que Cristo é a cabeça da Igreja, ele, o Salvador do seu Corpo. 24Mas como a Igreja é solícita por Cristo, sejam as mulheres solícitas em tudo pelos seus maridos. 25Maridos, amai as vossas mulheres, como o Cristo amou a Igreja e se entregou por ela. 26Ele quis assim torná-la santa, purificando-a com o banho da água unida à Palavra. 27Ele quis apresentá-la a si mesmo esplêndida, sem mancha nem ruga nem defeito algum, mas santa e irrepreensível. 28Assim é que o marido deve amar a sua mulher, como ao seu próprio corpo. Aquele que ama a sua mulher ama-se a si mesmo. 29Ninguém jamais odiou a sua própria carne. Ao contrário, alimenta-a e cerca-a de cuidados, como o Cristo faz com a sua Igreja; 30e nós membros do seu corpo! 31Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne. 32Este mistério é grande, e eu o interpreto em relação a Cristo e à Igreja. 33Em todo caso, cada um, no que lhe toca, deve amar a sua mulher como a si mesmo; e a mulher deve respeitar o seu marido. 

- Palavra do Senhor. 
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 127)


— Felizes todos os que respeitam o Senhor!
— Felizes todos os que respeitam o Senhor!

— Feliz és tu se temes o Senhor e trilhas seus caminhos! Do trabalho de tuas mãos hás de viver, serás feliz, tudo irá bem!
— A tua esposa é uma videira bem fecunda no coração da tua casa; os teus filhos são rebentos de oliveira ao redor de tua mesa.
— Será assim abençoado todo homem que teme o Senhor. O Senhor te abençoe de Sião, cada dia de tua vida.

Evangelho (Lucas 13,18-21)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 18Jesus dizia: “A que é semelhante o Reino de Deus, e com que poderei compará-lo? 19Ele é como a semente de mostarda, que um homem pega e atira no seu jardim. A semente cresce, torna-se uma grande árvore e as aves do céu fazem ninhos nos seus ramos”. 20Jesus disse ainda: “Com que poderei ainda comparar o Reino de Deus? 21Ele é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”.

- Palavra da Salvação. 
- Glória a vós, Senhor.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Liturgia diária - 29 de outubro - Segunda-feira

Primeira leitura (Efésios 4,32-5,8)


Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.

Irmãos, 4,32sede bons uns para com os outros, sede compassivos; perdoai-vos mutuamente, como Deus vos perdoou por meio de Cristo. 5,1Sede imitadores de Deus, como filhos que ele ama. 2Vivei no amor, como Cristo nos amou e se entregou a si mesmo a Deus por nós, em oblação e sacrifício de suave odor. 3A devassidão, ou qualquer espécie de impureza ou cobiça sequer sejam mencionadas entre vós, como convém a santos. 4Nada de palavras grosseiras, insensatas ou obscenas, que são inconvenientes; dedicai-vos antes à ação de graças. 5Pois, sabei-o bem, o devasso, o impuro, o avarento — que é um idólatra — são excluídos da herança no reino de Cristo e de Deus. 6Que ninguém vos engane com palavras vazias. Tudo isso atrai a cólera de Deus sobre os que lhe desobedecem. 7Não sejais seus cúmplices. 8Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor. Vivei como filhos da luz. 

- Palavra do Senhor. 
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 1)


— Sejamos, pois, imitadores do Senhor, como convém aos amados filhos seus.
— Sejamos, pois, imitadores do Senhor, como convém aos amados filhos seus.

— Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados, nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar.
— Eis que ele é semelhante a uma árvore que à beira da torrente está plantada; ela sempre dá seus frutos a seu tempo, e jamais as suas folhas vão murchar. Eis que tudo o que ele faz vai prosperar.
— Mas bem outra é a sorte dos perversos. Ao contrário, são iguais à palha seca espalhada e dispersada pelo vento. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, mas a estrada dos malvados leva à morte. 

Evangelho (Lucas 13,10-17)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 10Jesus estava ensinando numa sinagoga, em dia de sábado. 11Havia aí uma mulher que, fazia dezoito anos, estava com um espírito que a tornava doente. Era encurvada e incapaz de se endireitar. 12Vendo-a, Jesus chamou-a e lhe disse: “Mulher, estás livre da tua doença”. 13Jesus pôs as mãos sobre ela, e imediatamente a mulher se endireitou e começou a louvar a Deus.
14O chefe da sinagoga ficou furioso, porque Jesus tinha feito uma cura em dia de sábado. E, tomando a palavra, começou a dizer à multidão: “Existem seis dias para trabalhar. Vinde, então, nesses dias para serdes curados, não em dia de sábado”.
15O Senhor lhe respondeu: “Hipócritas! Cada um de vós não solta do curral o boi ou o jumento, para dar-lhe de beber, mesmo que seja dia de sábado? 16Esta filha de Abraão, que Satanás amarrou durante dezoito anos, não deveria ser libertada dessa prisão, em dia de sábado?” 17Esta resposta envergonhou todos os inimigos de Jesus. E a multidão inteira se alegrava com as maravilhas que ele fazia.

- Palavra da Salvação. 
- Glória a vós, Senhor.

Santo do dia - 29 de outubro

São Narciso

O santo de hoje, São Narciso, foi Bispo de Jerusalém e, quando se deu tal fato, devia ter quase cem anos de idade. Narciso não era judeu e teria nascido no ano 96. Homem austero, penitente, humilde, simples e puro, sabe-se que presidiu com Teófilo de Cesareia a um concílio onde foi aprovada a determinação de se celebrar sempre a Páscoa num Domingo.

Eusébio narra que em certo dia de festa, em que faltou o óleo necessário para as unções litúrgicas, Narciso mandou vir água de um poço vizinho, e com sua bênção a transformou em óleo. Conta também as circunstâncias que levaram Narciso a demitir-se das suas funções.

Para se justificarem de um crime, três homens acusaram o Bispo Narciso de certo ato infame. "Que me queimem vivo - disse o primeiro - se eu minto". "E a mim, que me devore a lepra", disse o segundo. "E que eu fique cego", acrescentou o terceiro. O desgosto de ser assim caluniado despertou em Narciso o seu antigo desejo pelo recolhimento e, por isso, sem dizer para onde ia, perdoou os caluniadores e saiu de Jerusalém em direção ao deserto. Considerando-o definitivamente desaparecido, deram-lhe por sucessor a Dio, ao qual por sua vez sucederam Germânio e Górdio. Todavia, os três caluniadores não tardaram a sofrer os castigos que em má hora tinham invocado, pois o primeiro pereceu num incêndio com todos os seus, o segundo morreu de lepra e o terceiro cegou à força de tanto chorar o seu pecado.

Alguns anos depois, Narciso reapareceu na cidade episcopal. Nunca tinha sido posta em dúvida a santidade do seu procedimento.; por isso, foi com imensa alegria que Jerusalém recebeu seu antigo pastor. Segundo diz Eusébio, continuou Narciso a governar a diocese até a idade de 119 anos, auxiliado por um coadjutor chamado Alexandre. Faleceu cerca do ano de 212. 

São Narciso, rogai por nós!

Igreja Una e Santa